Artur Gomes & Gumes - Meu coração Marçal Tupã Sangra Tupy & Rock And Roll


23/06/2006


bruna linda alvarez

quero dizer apenas

que não vale a pena

só te ver de longe

na fotografia

e pensar teu nome

para poesia

quero tocar teus poros

conhecer a pele

radiografar teus pêlos

ser teu dia a dia

 

artur gomes

http://arturgomes.zip.net

www.fulinaima.com.br

http://balckbilly.blogspot.com

 

Escrito por artur gomes às 12h45
[ ] [ envie esta mensagem ]

tecidos sobre a pele

 

terra: antes que alguém morra

escrevo prevendo a morte

arriscando a vida

antes que seja tarde

e que a língua da minha boca

não cubra mais tua ferida

 

entre/aberto em teus ofícios

é que meu peito de poeta

sangra ao corte das navalhas

minha veia mais aberta

é mais um rio que se espalha

 

amada de muitos sonhos e pouco sexo

deposito a minha boca no teu cio

e uma semente fértil nos teus seios como um rio

o que me dói é ter-te

devorada por estranhos olhos

e deter impulsos por fidelidade

 

artur gomes

in fulinaíma sax blues poesia

artur gomes – voz

luiz ribeiro – guitarra

dalton freire – sax

antre e ouça

http://arturgomes.zip.net

ouça aqui

www.fulinaima.com.br

 

 

 

Escrito por artur gomes às 08h58
[ ] [ envie esta mensagem ]

20/06/2006


onde é que  o tempo muda

ouço a tua voz

aqui  bem perto

 

dentro do ouvido

        e não duvido

quanto mais o tempo muda

o tempo é que está certo

 

artur gomes

http://carnavalha.zip.net

 

Escrito por artur gomes às 13h20
[ ] [ envie esta mensagem ]

janaína cavalcanti

Escrito por artur gomes às 13h13
[ ] [ envie esta mensagem ]

Jura secreta 8

 

teu nome pode ser um elo

a ponte rio belo horizonte

porto alegre cais do porto

 

não fosse o gosto

que ainda tenho em minha boca

do vinho que bebi em tua boca

goiaba que roubei do teu pomar

 

não fosse  o nome elo e ponte

ao menos fruta

que ficou no paladar

 

artur carNAvalha gumes

http://federicobaudelaire.zip.net

http://carnavalha.zip.net

http://babycadelinha.blogspot.com

 

Escrito por artur gomes às 13h01
[ ] [ envie esta mensagem ]

19/06/2006


Ser Poeta

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de infinito!
Por elmo, as manhãs de ouro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te assim, perdidamente...
É seres alma e sangue e vida em mim
E
dizê-lo cantando a toda gente!

Florbela Espanca

Escrito por artur gomes às 12h45
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Histórico

Outros Sites

Visitante Número