Artur Gomes & Gumes - Meu coração Marçal Tupã Sangra Tupy & Rock And Roll


01/09/2006


césar castro - transpirações gráficas

baby é cadelinha

devemos não ter pressa
a lâmina acesa sob o esterco de vênus
onde me perco mais me encontro menos
de tudo o que não sei
só fere mais quem menos sabe
sabre de mim baioneta estética
cortando os versos do teu descalabro

visto uma vaca triste como a tua cara
estrela cão gatilho morro:

a poesia é o salto de uma vara

disse-me uma vez só quem não me disse
ferve o olho do tigre enquanto plasma
letal a veia no líquido do além
cavalo máquina meu coração quando engatilho

devemos não ter pressa
a lâmina acesa sob os demônios de eros
onde minto mais porque não verus
fisto uma festa a mais que tua vera
cadela pão meu filho forro:

a poesia é o auto de uma fera

devemos não ter pressa
a lâmina acesa sob os panos
quem incesta?
perfume o odor final do melodrama
sobras de mim papel e resma
impressão letal dos meus dedos imprensados
misto uma merda a mais que tua garra
panela estrada grão socorro:

a poesia é os fausto de uma farra

 

Artur Gomes

http://cesar48.blogspot.com

Escrito por artur gomes às 12h57
[ ] [ envie esta mensagem ]

30/08/2006


mix: cláudia gonçalves

Flor do Pampa

 

essa flor aqui em minha boca

vermelha rosa que floriu nos pampas

traz a seiva de uma terra santa

que todo mês

fazendo sol ou chuva

floresce em vinho a uva

e tudo mais

que o amor fizer

 

esta rosa aqui agora

que espelha fina estampa

entre os meus dentes

pele e presente de uma musa

que traz nos belos seios

um poema em tua blusa

e na flor da pele

um nome de mulher

 

artur gomes

http://arturgomes.zip.net

 

o delírio é a lira do poeta

se o poeta não delira

sua lira não profeta

 

fulinaíma sax blues poesia – entre e ouça:

http://www.soundclick.com/fulinaimasaxbluesepoesia

 

Escrito por artur gomes às 16h04
[ ] [ envie esta mensagem ]

28/08/2006


césar castro - transpirações gráficas

curuminha

quando como do açaí
ou bebo
como se provasse em tua boca
belém pará bacuri
canção tupi que ouvi
tua língua cantar como agora

TECAI TUTERA AMOCARIU

quer dizer

que eu nunca mais fui embora
como a fruta em teu paladar

saudade dói mas não demora
e ao lembrar
você ainda canta come
e chora

artur gomes

http://tropicanalice.zip.net

http://sagaranagens.zip.net

http://fulinaimicamente.zip.net

 

Escrito por artur gomes às 19h17
[ ] [ envie esta mensagem ]

maria luiza dos santos - uma linda amiga

Escrito por artur gomes às 13h33
[ ] [ envie esta mensagem ]

rio em pele feminina

 o rio com seus mistérios
molha seu cio em silêncio
desejo o que nos separa
a boca em quantos minutos
as flores soltas na fala
o pó dos ossos dos anos
você me diz não ter pressa
seus olhos fogo na sala
o beijo um lance de dados
“cuidado cuidado cuidado
que sou um anjo de fadas
não beije assim  meus segredos

meus olhos faróis nos riachos
meus braços dois afluentes
pedaços do corpo do rio
meus seios ilhas caladas
das chamas não conhece o pavio
se você me traz para o cio
assim que o sexo aflora
esta palavra apavora
o beijo dado mais cedo
quebra meu ser no espelho
meu cerne é carne de vidro
na profissão dos enredos

quanto mais água me sinto
presa ao lençol dos seus dedos
o rio retrata meu centro
na solidão de mim mesma
segundo a segundo nas águas

lá onde o sol é vazante
lá onde a lua é enchente
lá onde o rio é estrada
onde coloca seus versos
me encontro peixe e mais nada

 

artur gomes

http://carnavalha.zip.net

http://quartacomverso.blogspot.com

 

 

Escrito por artur gomes às 13h27
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Histórico

Outros Sites

Visitante Número