Artur Gomes & Gumes - Meu coração Marçal Tupã Sangra Tupy & Rock And Roll


22/12/2006


lidiane, jeanne e engels unidos pela arte - foto: artur gomes

Escrito por artur gomes às 11h54
[ ] [ envie esta mensagem ]

Jura Não secreta

 

 que esse Natal fosse muito mais

que uma palavra em  minha jura não secreta

mesmo porque não tenho Papas

muito menos nos altares

quanto mais  na minha  língua

também não tenho Padres

nem acredito serem  Nossos

se a felicidade está a míngua

te desejo  mais que rappas

mais que raspas restos riscos

nem que seja por e-mail

mas te desejo por  inteiro

um País muito mais  justo

mesa posta para todos

onde viver não seja  Foda

e o amor  esteja   em  moda

nas cirandas da infância

sempre flor dentro da roda

para o brilho dos teus olhos

cristalinas  as camisas

uma estrela em tua roupa

e tempestades  sejam  brisas

na razão que nos compete

uma rosa em teu vestido

sempre pão em tua boca

e nossos filhos bem nutridos

para a fome de desejos

em tua língua deixo um beijo

Feliz Natal Dois Mil e Sete

 

Artur Gomes

Concurso Nacional de Poesia

o vinho na cultura das civilizações

inscrições até 2 de janeiro/2007

regulamento no site:

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

 

 

 

 

 

Escrito por artur gomes às 11h51
[ ] [ envie esta mensagem ]

20/12/2006


ateliê lourenço de bem - lago norte - brasília-df

Escrito por artur gomes às 13h40
[ ] [ envie esta mensagem ]

Amo-te

Amo-te
infinitamente,
em prosa em verso,
eTernamente

Amo-te em poros,
em suores,
em delírios,
em tremores

amo-te em Si,
Dó maior,
Sol, La, Mi
Fá Menor

Amo-te
porque explicar
é só sentir
a brisa do ar

Ela vai te contar
que amo-te em ternura
infinita aventura
até o sol clarear

Bia Marquez (20/12/06)

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

 

Escrito por artur gomes às 13h38
[ ] [ envie esta mensagem ]

a bênção mainha! - rainha do acarajé - feira da torre de tv - brasília-df

Escrito por artur gomes às 13h22
[ ] [ envie esta mensagem ]

Infinitamente
(Para Juras Secretas)

Por que jurar secretamente
o amor que é latente
entre corpos em non sense
entre línguas, enTridentes,

Por que calar em pranto quente
uma paixão incandescente
perdida em fogo, mais que ardente
explodem beijos entreMentes

Mas é fogo, mar e ares
Essa loucura intermitente
Versos, rimas, puramente
Passado, futuro e presente

Bia Marquez - 19/12/06

Pra vc, querido poeta bruxo, em juras e poesias, infinitamente...

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

 

Escrito por artur gomes às 13h20
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 12h03
[ ] [ envie esta mensagem ]

sagarínica ou fulinaimânica


jogo de dada/ista
não sou iluminista/nem pretender
eu quero o cravo e a rosa
cumer o verso e a prosa
devorar a lírica a métrica
a carne da musa
seja branca/negra
amar/ela vermelha verde
ou cafusa

eu sou do mato curupira carrapato
eu sou da febre sou dos ossos
sou da lira do delírio
são virgílio é o meu sócio
pernambuco amaralina
vida leve ou sempre/vida severina
sendo mulher ou só menina
que sendo santa prostituta
ou cafetina
devorar é minha sina
profanar
é o meu negócio

 

artur gomes

http://jurassecretas.zip.net

mostra visual de poesia brasileira

http://arturgumes.zip.net

Concurso Nacional de Poesia

o vinho na cultura das civilizações

inscrições até 2/01/2007

regulamento  no site http://almadepoeta.com/fulinaima.htm




Escrito por artur gomes às 12h02
[ ] [ envie esta mensagem ]

19/12/2006


nossas roupas penduradas nos varais candangolândia brasília-df

Escrito por artur gomes às 15h17
[ ] [ envie esta mensagem ]

sagaraNAgens fulinaímicas


guima
meu mestre guima
em mil perdões eu te peço
por esta obra encarnada
na carne cabra da peste
da hygia ferrreira bem casta
aqui nas bandas do leste
a fome de carne é madrasta


ave palavra profana
cabala que vos fazia
veredas em mais sagaranas
a morte em vidas severinas
tal qual antropofagia
teu grande sertão
                  vou cumer

nem joão cabral severino
nem virgulino de matraca
nem meu padrinho de pia
me ensinou usar faca
ou da palavra o fazer
a ferramenta que afino
roubei do mestre drummundo
que o diabo giramundo
é o narciso do meu ser

 

arturgomes

http://jurassecretas.zip.net

http://arturgumes.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

 

Escrito por artur gomes às 15h15
[ ] [ envie esta mensagem ]

18/12/2006


lilia e eu visto por alice na unb no dia em que le defendeu a sua monografia

Escrito por artur gomes às 19h12
[ ] [ envie esta mensagem ]

 

Bia de Dante 2


e quando mais ela sorrisse
eu entendia o que disse
me ame dentro dos olhos
e nunca mais ame a clarice
me venha com tuas juras
tuas taradas loucuras
teu amor antropofágico
me ame quando for lírico
me ame quando for trágico
sou beatriz e espero
por estes séculos afora
quem venha e me deflora
me liberta dos tecidos
quem me livre dos vestidos
me abra portas/janelas
me cansei destas esperas
decidida e pronta me entrego
a ti poeta dos céus das bocas
dos infernos
sou razão dos teus delírios
e dos teus versos profanos
me livre de todos os panos
me prove do amor eterno

Artur Gomes

http://jurassecretas.zip.net

http://arturgomes.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por artur gomes às 19h11
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Histórico

Outros Sites

Visitante Número