Artur Gomes & Gumes - Meu coração Marçal Tupã Sangra Tupy & Rock And Roll


16/03/2007


raiva é energia

para marcelo montenegro

 

a máquina que move o mundo, o tilintar

de moedas virtuais, cartões de crédito,

senha bancária, fobias sexuais, papos de velhos

sapos peludos, papudos otários dando

de espertos, mirando a terra como campo

de erros, onde crescem heras que enfeitam

os muros, enquanto monturos de gente

azedando no lixo, emporcalham a festança

dos donos de seguros, como se a vida fosse algo

seguro, como se as estrelas não se acendessem

no escuro,

 

Ademir Assunção

in Zona Branca – Travessa dos Editores

Curitiba/2006

http://zonabranca.blog.uol.com.br

 

Escrito por artur gomes às 19h24
[ ] [ envie esta mensagem ]

1

cosmorama

 

o sonho é o momento sagrado em que o

espírito está livre e em que ele realiza várias

tarefas: purifica o corpo físico, sua morada;

viaja até a morada ancestral; muitas vezes, voa

pela aldeia; e, algumas vezes,a través de

Whahutedew´á, o Espírito do Tempo, vai até as

margens do futuro, assim como caminha pelas

trilhas do passado.

 

Kaka Werá Jecupé

índio guarani

 

 

Escrito por artur gomes às 08h14
[ ] [ envie esta mensagem ]

Engenho

 

engenho           na palavra

é Arte

 

Arte                  na palavra

engenho

 

tenho                a vida

como                 Arte

 

Arte       como a vida

tenho

 

Artur Gomes

http://arturgomes

http://poeticas.zip.net

incursões poéticas e fotográficas pela fenavinho – Rio Grande do Sul

aqui: http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

 

 

 

Escrito por artur gomes às 08h08
[ ] [ envie esta mensagem ]

15/03/2007


bloco das sanfoneiras

Aço e Flor

Quem nunca viu
que a flor, a faca e a fera
tanto fez como tanto faz,
e a forte flor que a faca faz
na fraca carne,
um pouco menos, um pouco mais,
quem nunca viu
a ternura que vai
no fio da lâmina samurai,
esse, nunca vai ser capaz.

Paulo Leminski

http://poeticas.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por artur gomes às 13h42
[ ] [ envie esta mensagem ]

14/03/2007


a vida é um moinho

com a licença de Cartola, Paulinho da Viola

e Nelson Cavaquinho

 

agora que me negas a palavra

entre nós sinal fechado

embora saibas estar arrependida

foste um rio que passou em minha vida

com o seu sorriso no caminho

do espinho em minha flor

mas meu coração navegante

não será um novo Dante

eu sou poeta meu amor

amo sempre e por prazer

nunca peço por favor.

 

Artur Gomes

http://arturgomes.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por artur gomes às 08h16
[ ] [ envie esta mensagem ]

13/03/2007


quando penso tua boca

fico tenso

e os céus na minha língua

repenso

nos caldeirões do infinito

 

Artur Gomes

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por artur gomes às 12h47
[ ] [ envie esta mensagem ]

Pessoa

 

eu não tenho pretensões

de ser moderno

nem escrevo poesia

pensando em ser eterno

 

veja bem na minha língua

as labaredas do inferno

e só use o meu poema

com a força de quem xinga

 

Artur Gomes

In Couro Cru & Carne Viva(1987) e

Fulinaíma Sax Blues Poesia(2002)

http://arturgumes.zip.net

http://almadepoeta.com./fulinaima.htm

 

Escrito por artur gomes às 08h21
[ ] [ envie esta mensagem ]

12/03/2007


Curto/circuito

 

quem disse que amor

é mudo

surdo

cego

não sabe o que carrego

em meu estado de surto

 

Artur Gomes

http://arturgumes.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por artur gomes às 15h57
[ ] [ envie esta mensagem ]

11/03/2007


A Mãe da Artes Manhas

 

me atiro do oitavo andar do edifício

vôo direto pro hospício

quando pensa que estou fora

é aí que estou dentro

no ofício do engenho

tu não sacas  meu invento

 

Artur Gomes

http://arturgumes.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por artur gomes às 18h44
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Histórico

Outros Sites

Visitante Número